Análise: Ceará vê jejum aumentar, não confirma vaga na Sul-Americana e vê Libertadores longe

Vovô é derrotado na Arena Castelão, por 3 a 1, pelo Fluminense, chega a quatro jogos sem vencer na Série A do Campeonato Brasileiro e não se aproxima do G-8, reduzindo suas chances de vaga na Libertadores

O Ceará entrou em campo no fechamento da 36ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro sonhando em se reaproximar do G-8 por uma vaga na Libertadores. Mas o Vovô acabou derrotado pelo Fluminense, por 3 a 1, e se manteve na 12ª colocação, com 46 pontos, reduzindo assim suas chances de classificação ao chegar ao 4º jogo sem vencer. O Alvinegro terminou a rodada quatro pontos atrás do Athletico/PR, o 8º colocado.

Ouça o podcast 'CearáCast'

 

Powered by RedCircle

 

Se vencesse o Flu, o Ceará se classificaria matematicamente para a Copa Sul-Americana, mas o clube precisa apenas de dois pontos nas duas rodadas finais contra rebaixados. No sábado (20), o Vovô enfrenta Coritiba, às 18h30, no Couto Pereira, e no dia 25, encerra a Série A diante do Botafogo, às 21h30, em casa.

O Alvinegro tem que dar uma resposta nas duas rodadas finais, para fechar bem a Série A, com 52 pontos, que seria sua melhor pontuação da história dos pontos corridos (em 2010, o clube somou 47) e possivelmente a melhor colocação (em 2010, foi o 12º). Além do viés histórico, o clube se classificaria bem para a Copa Sul-Americana, já que as chances de G-8 praticamente são nulas agora, e fecharia em alta a grande campanha na Série A de 2020. Encerrar a Série A em um G-10 seria um prêmio para um clube que fez uma campanha sólida e vai para o 4º ano seguido na elite em 2021.

A resposta em performance e pontuação é necessária, pois a equipe, ao conquistar matematicamente a permanência na Série A com seis rodadas de antecedência, caiu muito de rendimento, aparentemente em um relaxamento natural após a conquista do objetivo inicial em uma temporada tão desgastante.
Já são quatro jogos sem vencer - três derrotas e um empate - que não apagam a grande campanha na Série A, mas que deixam uma ponta de frustração pela capacidade já mostrada do time de Guto Ferreira de melhor colocação, de uma pontuação mais alta.

 

Contra o Fluminense, um rival embalado e sonhando com uma vaga direta na Libertadores pelo G-4, o Ceará até melhorou em comparação aos jogos diante de Athletico/PR, Corinthians e São Paulo. Criou mais do que nas citadas partidas, mas errou tanto quanto, comprometendo mais um resultado.
Ainda que os desfalques de Samuel Xavier, Lima e Cléber sejam complicadores, as entradas de Eduardo, Charles e Saulo, eram naturais, mas o rendimento do time caiu. 

Filme repetido

E não só pelos três, que se esforçaram e até criaram chances para o Vovô, com Charles arriscando de fora da área para defesa do goleiro e Saulo deixando Vina na cara do gol, mas mais uma vez o time alvinegro esteve em uma rotação abaixo: nem Vina, nem Fernando Sobral, nem Léo Chú fizeram um grande jogo, dificultando as ações ofensivas. 

Enquanto lá atrás, os erros defensivos corriqueiros nos últimos jogos continuaram: a dupla de zaga falhou demais - Tiago e Luiz Otávio não foram bem - além dos laterais cedendo espaços para os ataques tricolores. Para dificultar mais ainda, Richard, que fez a diferença contra o São Paulo com grandes defesas, não repetiu o desempenho.
Após o 1º tempo com o placar parcial de 1 a 0, Daniel Azambuja (auxiliar que substituía Guto Ferreira, suspenso), tentou mudar a cara da equipe com Wescley e Felipe Vizeu, mas o Vovô, embora tenha melhorado em volume de jogo pressionado, desperdiçou suas chances. 

 

Foto: Thiago Gadelha

 

E o jovem time do Fluminense nem fez uma partida brilhante, longe disso, mas aproveitou bem as falhas defensivas do Ceará para abrir dois gols e ainda marcar o terceiro, quando o Alvinegro se animou após diminuir de pênalti.
O gol solitário de Vina, foi uma das poucas coisas positivas do time no jogo de ontem. Foi o 13º gol dele na Série A, isolando-se como maior artilheiro do Vovô em um Brasileiro de pontos corridos. Também é um prêmio pelo ano espetacular do Vina, um dos responsáveis diretos pela grande campanha do Vovô na elite.

Ficha Técnica

Série A do Brasileiro - 36ª rodada
Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
15 de fevereiro

Ceará 1
Richard, Eduardo, Tiago Pagnussat (Klaus), Luiz Otávio, Bruno Pacheco, Fabinho, Charles (Wescley),
Fernando Sobral (Rick), Vina, Léo Chú (Jacaré), Saulo Mineiro (Felipe Vizeu). Técnico: Daniel Azambuja

Fluminense 3
Marcos Felipe, Calegari, Nino, Luccas Claro, Egídio, Martinelli (André), Yago Felipe, Nenê (Hudson), Luiz Henrique
(Pacheco), John Kennedy (Samuel), Lucca (Michel Araújo). Técnico: Marcão


Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO). Gols: Vina (Ceará) e John Kennedy, Martinelli e Samuel (Fluminense). Cartões Amarelos: Léo Chú (Ceará) e Lucca (Fluminense) .

Fonte, DN

Comentários